Como preparar o primeiro filho para a chegada de um irmãozinho? Esta costuma ser uma dúvida comum dentre os pais quando surge uma nova gestação no sistema familiar. Embora muitas crianças desejem, qual é o caminho a ser seguido no decorrer desta nova jornada?

Apesar de a parte dos cuidados e toda a dinâmica que envolve esperar e ter um bebê já seja algo experimentado por adultos que já tiveram um filho, a preocupação quando se tem filhos criança muitas vezes gira em torno da preparação para as mudanças que receber um irmão caçula impacta. Antes de mais nada devemos mencionar que falar a verdade é sempre a opção mais respeitosa para as crianças. Mentiras na família são tóxicas pelo fato de que os pequenos possuem uma percepção bastante aguçada e costumam desconfiar quando há acontecimentos diferentes nas vidas dos pais. Compartilhar com seu filho, de acordo com a sua faixa etária, tão logo que a notícia seja confirmada o fará sentir-se confiável. Saber juntamente com os demais familiares e amigos o fará sentir-se chateado e excluído do núcleo familiar.

Após contar a criança sobre a chegada de uma irmã (ão) inclua-o em todos os preparativos assim como os exames de rotina e idas ao médico no decorrer da gestação para que possa participar de tudo e ir assimilando os acontecimentos. É essencial a criança ter tempo para ir criando em seu imaginário este novo papel, esta nova função que assumirá, afinal o amor é algo que construímos dentro de nós. Não deixe para cultivar apenas após o nascimento, já vá plantando as sementes pois elas levam tempo para florescer.

Da mesma forma, peça a opinião sobre as arrumações do enxoval. Permita que a criança participe ativamente das escolhas de cores, modelos e das organizações. Isso irá gerar engajamento e valorização de seu filho diante desta nova fase da vida de todos. As crianças amam se sentirem úteis e importantes.

Quando o bebê nascer, lembre-se de separar um horário por dia exclusivo para se dedicar ao filho mais velho ou a cada filho, caso tenha mais de um. Diante das demandas de um recém-nascido é comum os pais dar prioridade a ele, entretanto, os demais filhos irão perceber as alterações e isto gera a mudança dos comportamentos. Mostrar que o carinho e o amor não mudaram, apesar das alterações na rotina fortalece os laços de segurança e compreensão.

Converse sempre com seu filho, pergunte o que ele está sentindo e achando de tudo, acolha-o e dê espaço para que eles expressem suas emoções, lembrando de os incluir nas dinâmicas do dia a dia com o bebê sem forçar carinhos, sem cobranças, apenas muita interação amor e atenção entre todos.

Dami Côrtes, Especialista em Famílias, Psicologia Relacional Sistêmica, Psicologia do Desenvolvimento, Neuropsicologia aplicada à Neurologia Infantil, Psicologia Positiva, Mindfulness e Inteligência Emocional.