Não é novidade para as mamães que tem algum tipo de contato com as ideias de Eliana Dias, seja fazendo os webnários, consultorias ou simplesmente consumindo o conteúdo em redes sociais como o instagram, a ênfase dada aos passeios ao ar livre nas rotinas, em todas as idades.

O ser humano é completo. Sono, alimentação, e todas as demais atividades da vida de um bebê, estão interligadas. A abordagem sobre sono contempla também uma rotina bem estabelecida onde essas atividades devem ser executadas cooperando para o bem estar do bebê. Nesse sentido, a vida ao ar livre é parte fundamental e seus benefícios incontáveis.

1. Regula nosso “relógio” biológico: Nosso corpo é regulado por ciclos de 24 horas. É como se tivéssemos um “relógio interno”, que regula as principais atividades do nosso corpo. Isso é conhecido como ritmo circadiano. Expor-se a luz natural ajuda esse relógio a se regular. Nós precisamos dela para esse ajuste e para a produção de hormônios que nos ajudam a dormir e a acordar. As consequências de um “relógio biológico” desajustado vão desde insônia e até mesmo o agravamento de quadros como ansiedade e depressão. Em bebês e crianças pequenas, isso é ainda mais necessário, pois eles estão aprendendo a regular o ritmo circadiano e precisam ser expostos a luz solar constantemente para que essa regulação aconteça e para que o sono melhore.

2. Estimula o desenvolvimento intelectual: Os bebês estão em constante e rápido desenvolvimento, apenas a observação da natureza, oferece a oportunidade de desenvolver sua atenção, concentração e estimulação de todos os sentidos.  A natureza oferece uma infinidade de coisas para ver, tocar, cheirar ouvir e provar! Com todos esses sentidos sendo estimulados, o aprendizado é completo. Para aquelas crianças que já são maiores e já iniciaram a vida escolar, é uma forma prática de vivenciar aquilo que aprendem sobre ciências, geografia, matemática e todo o currículo escolar.

3. Auxilia no gasto de energia: Aquela sensação que temos de que “as pilhas” dos  filhos nunca acabam, é minimizada quando o contato com a natureza acontece. Quando eles podem correr, pular, saltar e se distrair com aquilo que ela oferece, acontece um grande gasto de energia. O tédio de casa, ou o estímulo das telas podem ser substituídos por momentos alegres e divertidos onde a criança desenvolve a sua coordenação motora, seu equilíbrio, apenas brincando, correndo ao ar livre, mexendo com terra, tocando os pés na grama, subindo em árvores, pulando nas calcadas e explorando tudo aquilo que a vida ao ar livre pode oferecer. O gasto de energia contribui para uma boa soneca e/ou uma boa noite de sono. A criança precisa de repouso para repor essa energia que foi gasta. O mesmo acontece com a alimentação. Criança que gasta muita energia, come melhor. O desenvolvimento é completo para a saúde: Respirar ar puro, fortalecer a musculatura, desenvolver visão e audição e tantos outros que poderiam ser listados aqui.

4. Fortalece o sistema imunológico: A primeira reação de mães preocupadas muitas vezes é privar seu filho de contato externo. E de certa forma isso é válido, nos primeiros meses, evitar aglomerações de pessoas, mas isso, essencialmente, em ambientes fechados. Até mesmo para bebês bem pequenos o contato com o ambiente natural e com as bactérias presentes é importante. Sem mencionar no ganho de vitamina D.  Para os maiores, há o ganho com o contato na grama, na terra e até mesmo com os arranhões e joelhos ralados. O sistema imunológico da criança se fortalece.

Se são tantos benefícios, porque permanecer fechados dentro de casa? Talvez a gente alegue falta de tempo, cansaço e tantas outras desculpas, mas o fato é que não precisamos de muito para desfrutar a vida ao ar livre. Não precisa começar com uma manhã inteira em um parque distante, pode começar com 15 minutos dentro do condomínio ou em volta de casa, e ir evoluindo ao perceber os benefícios desse hábito constante na vida das crianças.  Charlotte Mason, educadora clássica inglesa, afirmava que a criança, principalmente me seus primeiros anos, deveria passar de 4 a 6 horas de seu dia ao ar livre, tal tempo nos parece muito, mas quando pensamos nos benefícios acima listados percebemos que poderíamos e deveríamos passar mais tempo  em contato com a natureza.

O lema: ” Saiam das telas!” Está por toda parte. Profissionais de todas as áreas da educação e saúde tem batido nessa tecla, alertado do dos malefícios dessa prática. Mas ao sair das telas, o que ofereceremos aos nossos filhos? Que tal oferecer a natureza?

Ivonete Porto, Pedagoga, mãe do Matias e da Lúcia.