Após a chegada de um filho toda a dinâmica familiar passa por transformação.
São horários e rotinas diferenciadas que exigem tempo e dedicação para os
cuidados do bebê. Muitas mães se questionam: como darei conta quando a
minha licença a maternidade acabar?
Algumas mulheres optam por realizar uma pausa maior na carreira quando a
maternidade chega. Já outras ou precisam retornar ao trabalho para não perder
o emprego passado o período previsto por lei ou a necessidade do retorno é o
seu desejo pessoal de retomar a sua vida rotineira também.
Quando a mulher retorna ao trabalho seja pelo motivo que for precisa em
primeiro lugar sentir-se bem em relação a isto. A culpa que costuma aparecer
por deixar o filho seja com cuidadores ou na creche atrapalha tanto o seu
desempenho profissional quanto estado emocional. Em se tratando de
relacionamento entre pais e filhos, os abalos psicológicos que acontecem com
um refletem no outro automaticamente.
Se a família precisa dos recursos financeiros relativos ao trabalho feminino,
este é um ponto bastante forte para dar o incentivo diário. Fixar que a ausência
durante o dia tem o motivo de estar buscando melhores condições e conforto
para criança e realiza-lo com empenho é a maneira de fazer este esforço da
separação valer a pena.
Porém há mulheres que sentem falta de trabalhar em suas profissões mesmo
sem a parte financeira ser um ponto forte. Sentem-se estagnadas estando fora
do mercado, como se não retornassem a vida e com isto ficam deprimidas.
Novamente devem se livrar da culpa pois cada ser humano é único. Não há
nada de errado em pensar em si e querer seguir a vida que gosta da mesma
maneira de antes. Aliás, toda mulher para ser uma mãe excelente precisa em
primeiro lugar, cuidar de si, sentir-se satisfeita com as suas escolhas e com
isto, adaptar os diferentes pilares de sua vida que incluem a maternidade.
Seja amando o seu trabalho ou precisando da segurança financeira, para que o
retorno a vida profissional da mãe aconteça de forma leve para o bebê lembre-
se de que ele necessita sentir de você confiança e bem-estar nas suas
decisões para ficar bem. A parentalidade quando desempenhada com amparo
de conhecimento e auxílio de profissionais torna-se muito mais divertida e
gratificante, aliás, ela precisa ser plena e não estressante ou exaustiva.
Além disto, o planejamento familiar das rotinas diárias para que pai e mãe
façam escalas e dividam as tarefas é essencial para não haver um
esgotamento diante de tantas demandas. Organização em busca o equilíbrio é
fundamental para que todos consigam trabalhar, cuidar do bebê, da casa, do
casamento, da família e de si.

Dami Côrtes, Especialista em Famílias, Psicologia Relacional Sistêmica, Psicologia do Desenvolvimento, Neuropsicologia aplicada à Neurologia Infantil, Psicologia Positiva, Mindfulness e Inteligência Emocional.